quarta-feira , 28 julho 2021
Home / Notícias / Migração do campo para a cidade perde força na AL

Migração do campo para a cidade perde força na AL

PEDRO SOARES, do Rio. Folha de SP.

Diante da perda de peso do êxodo do campo para a cidade na maioria dos países da América Latina, surgiram novos "fluxos migratórios" na região, mais "complexos" e que envolvem também a mudança de cidadãos da região para outros países, segundo o relatório "Estado das Cidades da América Latina e Caribe-2012", divulgado pelo programa ONU-Habitat nesta terça-feira.

As migrações na região tornaram-se "mais complexas e se produzem fundamentalmente entre cidades, a vezes traspassando as fronteiras internacionais", diz o estudo. Outro fenômeno relevante são os movimentos de população dentro das cidades, entre o centro e sua periferia e as cidades-satélites.

Estima-se que em 2010 mais de 30 milhões de latino-americanos e caribenhos (5,2% da população total) residiam fora de seu país de origem. Os principais destinos dessa emigração são os EUA –onde fixaram residência a maioria dos latino-americanos que deixaram seus países–, seguido por Espanha e Canadá.

O México lidera o êxodo no subcontinente, com 12 milhões de expatriados, o que corresponde a 10,7% da sua população. Depois, em números absolutos, surgem Colômbia, Brasil, El Salvador, Cuba, Equador e Peru.

Segundo o relatório, 60% das famílias mexicanas mais pobres dependiam de remessas de recursos de parentes que vivem no exterior.

O caso de Brasil destoa do resto da região porque, apesar de ser o terceiro maior "emissor" de pessoas em termos absolutos, proporcionalmente apenas 0,4% da população vive no exterior. Os destinos principais de brasileiros são EUA, Japão e Espanha.

Já os imigrantes representam 1,3% da população da América Latina (7,5 milhões de pessoas), com crescimento de 1 milhão de pessoas desde 2000 a 2010. Argentina, Venezuela, México e Brasil são os países que mais possuem, proporcionalmente, imigrantes.

Em grandes áreas metropolitanas, como em São Paulo, Rio de Janeiro, Quito e Cidade da Guatemala, observa-se um padrão migratório denominado de "desconcentração
concentrada". Ou seja, as pessoas saem da metrópole, mas se mudam para áreas próximas, em seu entorno.

Além disso, verifique

Após determinação da Justiça para retirada de tigre em chácara, o animal morre no Zoológico de Curitiba

O tigre da espécie asiática, denominado “Rajar” veio a óbito nas dependências do Zoológico Municipal …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *