quarta-feira , 22 novembro 2017
Home / Notícias / Novo ranking aponta as melhores cidades do mundo para se viver

Novo ranking aponta as melhores cidades do mundo para se viver

Quais são as melhores cidades do mundo para se viver atualmente? Os estudos a respeito do tema são realizados com frequência por diversas instituições de todo o mundo, que levam em conta critérios variados. O mais recente foi divulgado no sábado, 8 de dezembro, pela empresa de consultoria Mercer.

O ranking, realizado pelo segundo ano consecutivo, foi desenvolvido com base em cinco categorias: estabilidade política, serviços bancários, escolas, restaurantes e desastres naturais.

Entre as dez cidades que lideram a lista (221 foram analisadas, ao todo), sete estão na Áustria, Alemanha ou Suíça, o que torna a Europa como a região com melhor qualidade de vida do mundo, segundo a análise. Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo são os municípios brasileiros melhores colocados, contudo, não figuram nem entre os 100 primeiros do ranking. Listamos os 10 melhores do levantamento da Mercer:

1 – VIENA (ÁUSTRIA)

 

Viena, capital da Áustria, é um importante centro cultural / Foto: Chapuisat

 

Cortada pelo Rio Danúbio, a capital da Áustria é habitada por 1,7 milhão de habitantes, que orgulham-se de vê-la no topo da lista. Importante reduto da música erudita o centro urbano também é conhecido por seus inúmeros palácios.

2 – ZURIQUE (SUÍÇA)

Capital da Suíça tem custo de vida elevado, mas também oferece boas condições para a população Foto: Fernando Stankuns

 

Mesmo com um dos maiores custos de vida do mundo, a capital da Suíça, famosa pelos bancos, é considerada a segunda cidade com a melhor qualidade de vida do mundo. Localizado ao norte do país, o município tem 370 mil habitantes.

3 – GENEBRA (SUÍÇA)

 

VLT em Genebra. Transporte público de qualidade / Foto: Arnoldo Riker

 

Segunda maior cidade da Suíça, com 185 mil habitantes, Genebra ostenta um transporte público de qualidade e também é conhecida pelo título de “A Capital da Paz”, em razão de abrigar diversos organismos humanitários das Nações Unidas.

4 – VANCOUVER (CANADÁ)

 

Diversidade cultural e boa qualidade da infraestrutura caracterizam Vancouver / Foto: s.yume

 

A diversidade cultural marca Vancouver, a primeira cidade não-europeia do ranking da Mercer. Dos cerca de 578 mil habitantes, mais da metade (52%) não têm o inglês como língua oficial. Situada em uma região litorânea da costa do Pacífico, a metrópole sediou os Jogos Olímpicos de Inverno em 2012.

5- AUCKLAND (NOVA ZELÂNDIA)

 

Auckland tem numerosas instalações de lazer e oportunidades educativas Foto: eGuide Travel

 

Tecnicamente empatada com Vancouver na quarta colocação, Auckland possui vários aspectos positivos. Um deles é seu clima, que é considerado ameno. Além disso, a cidade de 1,4 milhão de habitantes tem abundância de empregos e oportunidades educativas, bem como numerosas instalações de lazer.

6- DUSSELDORF (ALEMANHA)

 

Apesar de industrializada, a cidade alemã também preserva áreas de biodiversidade / Foto: Claudio Brisighello

 

Primeira cidade alemã da lista, Dusseldorf é altamente industrializada, segundo maior centro financeiro do país e também um dos maiores de telecomunicações.

7- FRANKFURT (ALEMANHA)

 

A cultural Frankfurt / Foto: thomaswanhoff

 

Maior centro financeiro da Alemanha e segundo maior da Europa, atrás apenas de Londres, Frankfurt é habitada por 670 mil pessoas. A cidade tem mais de 60 museus e galerias de exposições, além de ser uma das sedes da Biblioteca Nacional da Alemanha. O transporte do município conta com metrô e trem.

8 – MUNIQUE (ALEMANHA)

 

Munique tem boa qualidade de vida / Foto: Francisco Antunes

 

Habitada por 1,4 milhão de pessoas, Munique divide a sétima colocação com Frankfurt. Conhecida por abrigar, anualmente, a Oktoberfest e a sede da BMW, a cidade detém inúmeras empresas de ponta, teatros, museus e universidades.

9 – BERNA (SUÍÇA)

 

A arquitetura marcante de Berna / Foto: andtrap

 

O Centro Histórico de Berna, cidade suíça de 130 mil habitantes, é tombado pela Unesco como patrimônio da humanidade. O município é conhecido por suas famosas construções do tempo medieval.

10 – SYDNEY (AUSTRÁLIA)

 

Moderna, Sydney aproveita bem seu potencial turístico / Foto: Becky E

 

Cidade mais populosa da Austrália, com 4,5 milhões de habitantes, a moderna Sydney aproveita bem seu potencial turístico. O centro urbano é considerado um dos dos mais multiculturais do mundo e é rodeado por parques nacionais, baías, rios e enseadas. Contudo, o custo de vida por lá assusta.

Outros rankings

Em agosto, publicamos aqui no EcoD outro ranking semelhante, mas elaborado pela The Economist. A análise envolveu 140 cidades ao redor do mundo e determinou quais delas são as melhores para se viver. O resultado colocou sete das dez cidades que lideram a lista em dois países: Austrália e Canadá. Pelo segundo ano consecutivo, Melbourne (Austrália) foi eleita a melhor cidade do mundo para se viver – a metrópole não aparece entre as 10 primeiras no levantamento da Mercer.

Também divulgamos, à época, o ranking das 10 piores cidades. Localizadas, em sua grande maioria, na África e Ásia, as piores cidades do mundo são, em geral, grandes metrópoles violentas, com alta densidade populacional, altos índices de criminalidades, congestionamento, poluição, baixa educação e cultura.

 

Fonte: EcoD

Além disso, verifique

thumb_crime

TRF1 condena empresas por dano material ambiental decorrente de fraudes no sistema de emissão de Documento de Origem Florestal (DOF)

“O Ministério Público Federal (MPF) e o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *