sexta-feira , 15 dezembro 2017
Home / Notícias / Fundação Ford patrocina delegação indígena crítica do Agronegócio Brasileiro na COP 23

Fundação Ford patrocina delegação indígena crítica do Agronegócio Brasileiro na COP 23

A COP23, realizada em Bonn na Alemanha de 6-17/NOV/17, consiste em importante encontro de nações e antecipam as discussões para as definições sobre as ações concretas que cada nação civilizada assumirá em Fiji (https://cop23.com.fj/fiji-and-the-pacific/). Como qualquer COP (conferência das partes das Nações Unidas), muitas discussões ocorrem na atmosfera que envolve o evento.

No dia 11/11/17, o Observatório do Clima (http://www.observatoriodoclima.eco.br/governo-brasileiro-poe-delegacao-da-cop23-na-berlinda/) protagonizou um franco a deliberado ataque às políticas públicas brasileiras no que tange ao tema “mudanças climáticas”.

A despeito dos desmandos governamentais que merecem severas críticas, o protagonismo utilizado chamou a atenção. Ao defender posturas radicais contra setores da economia, a índia Sônia Guajajara – da coordenação da Apib (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil), entrevistada logo após o evento, defendeu o pedágio em terras indígenas, criticou o agronegócio e revelou que uma articulação de ONG´s financiaram a vinda dos povos indígenas para COP 23, dentre as quais a americana Fundação Ford.

Causa estranheza que ao ser questionada sobre quem patrocinava a vinda dos índios à COP (algo absolutamente importante), a jornalista Cristina Amorim, do IPAM (Instituto de Pesquisas da Amazônia), interrompeu a entrevista querendo informações sobre o entrevistador, em flagrante ofensa ao direito da informação e a transparência, segundo os quais comunicação deve sempre se balizar.

É importante manter a isenção sobre a realidade dos fatos, e que as justas demandas indígenas pela demarcação das terras tradicionais não devem servir de justificativa para organismos internacionais interferirem na soberania da nação brasileira.

A atividade econômica, dentre as quais a produção agrária, segundo a Constituição Brasileira (arts. 170, 186 e 225) deve observar o respeito ao princípio do meio ambiente equilibrado, atender ao bem comum da sociedade e ao desenvolvimento econômico do Estado brasileiro (independentemente de qualquer Governo).

Salienta-se que as questões indígenas devem ser solucionadas à luz da Constituição Federal e da legislação brasileira, em estrita observância ao devido processo legal, jamais sobre influência de organismos, empresas ou instituições internacionais.

O equilíbrio e o respeito à Constituição da República mantém a linha editorial do Portal DireitoAmbiental.com.

COP
A índia Sonia Guajajara (centro), durante a COP-23

Direito Ambiental

Ouça a entrevista:

Direito Ambiental

Nota da Redação do Portal DireitoAmbiental.com:

Registramos que nesta tarde (em 14/11/2017) foram realizadas diversas tentativas de contato telefônico com a Fundação Ford, pelos números constantes na página da fundação, mas não conseguimos contato.

Assim, a fim de assegurar o contraditório, deixamos em aberto o espaço para eventual manifestação ou esclarecimentos quanto aos fatos revelados pela entrevistada.

Direito Ambiental

Aquilo que nos move:

equilibrio

Além disso, verifique

Direito-Ambiental-thumb-73

INCRA deve promover o licenciamento ambiental em assentamentos de reforma agrária

“A 1ª Vara Federal de Bagé determinou que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma ...

13 Comentários

  1. Roberto Andréa maffessoni

    Penso que nenhum produtor brasileiro deveria adquirir veículos dá marca FORD,
    Vamos mostrar o poder do trabalho e indignação é só adquirir caminhonetes,
    Toyota, Volkswagen, Mitsubishi e outras que por sinal são muito melhores em tudo.
    Sempre possui Ford (f1000,ranger,etc..)
    Não compro mais.
    Que dizem para os índios. Que nada produzem, só pelegos dá Funai e ONGs…

    • A questão, Roberto, nem é dos carros…mas a FORD é proprietária da NEW HOLLAND que é fabricante de máquinas agrícolas, (tratores, colheitadeiras, plantadeiras, pulverizadores, enfardadeiras, etc…). Sabe a expressão:’tiro no pé’, é isso mesmo… esses mesmos imbecis que patrocinam ou apoiam esse tipo de apologia comem os mesmos alimentos que o agro-negócio produz, e com muita frequência gastam mais recursos naturais, proporcionalmente, do que uma atividade produtiva…

      • A NEW HOLLAND não é tão boa o motor é de caminhão, é um pouco fraco.

        INACIO não compre nada da Ford.

        A melhor colheitadeira, o melhor trator, e todos os outros implementos a que ganha disparado é o John DEERE é difícil de quebrar
        O Motor foi feito para TRATOR passou no direito do consumidor nos Estados Unidos. Todos os implementos, plantadeiras, colhedeiras de grãos e de cana, e de outros produtos. A Americana que os produtores de lá amam e os daqui também.

      • A new Roland é Fiat agora.

    • Zé Ruela Informado

      A fundação Ford em questão, não tem nada a ver com a Ford Motor Company. É uma fundação que leva o nome Ford em homenagem ao Henry Ford, porém não tem ligação nenhuma com a Família Ford, Funcionários da Ford e muito menos com a Empresa Ford.
      Veja no wikipedia, que é essa fundação:
      https://pt.wikipedia.org/wiki/Fundação_Ford
      Certamente nenhuma indústria automobilística iria contra um setor que gera emprego e renda para todos os setores, inclusive faturamento para a indústria. Se informe melhor jovem, antes de falar besteiras.
      Abraços.

  2. Esta é uma das maiores afrontas à soberania brasileira. O povo brasileiro tem de colocar os pés no chão e exigir que suas riquezas sejam exploradas para garantia dos recursos necessários ao desenvolvimento do País e à formação intelectual, moral e profissional de seus cidadãos e cidadãs. O agronegócio vai ser a alavanca do progresso e vai transformar o Brasil no celeiro mundial, tendo em vista a carência de alimentos de que vai sofrer o mundo. Que adianta riquezas inexploradas e o povo passando necessidade alimentar, de saúde e educação? Por isso que reivindicamos a Intervenção Militar, pois não há mais solução civil, desde que voto hoje em dia ao invés de atender à sua finalidade, tornou-se um passaporte para a legalização da corrupção dos políticos e a destruição dos princípios democráticos que ainda agonizam no Brasil.

  3. Esta advertência “Seu comentário está esperando a aprovação do moderador. ” é uma censura velada, camuflada. Aprovar ou não, para publicar seja lá onde for, o que o cidadão escreve para poder externar sua livre opinião, é censura. Onde está a tão alardeada por vcs liberdade de imprensa? Só tem a mão que interessa a vocês! É por estas e outras que tem de haver ordem e garantia constitucional dos nossos deveres e direitos, que só podem ser respeitadas num Governo Militar.

  4. Itaia Muxaic de Ricart

    A “Ford Foundation” e uma ONG de EUA para intervenir em outros paises “independentes”. O dineiro provem dos mesmos donos das industries e bancos que controlam a “Fatord Foundation”. Para entender como funciona o sistema geopolitico das ONGs de EUA, Alemanha, Inglaterra es precisco estudar o reporte secreto da agencia de inteligencia de India, no internet como: IB REPORT ON NGOS PDF . O governo da India tem proibido a mas de 20,000 ONGs atiivas na India de receber dineiro desde EUA, Alemanha, Inglaterra, devido a “activities against the national interests of India”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *