sexta-feira , 15 dezembro 2017
Home / Notícias / Campanha da ONU contra o desperdício de alimentos tem adesão dos hotéis sustentáveis brasileiros

Campanha da ONU contra o desperdício de alimentos tem adesão dos hotéis sustentáveis brasileiros

 

 

 

 

Os hotéis sustentáveis do Brasil querem transformar o quanto antes em realidade a campanha global contra o desperdício de alimentos lançada pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma) e a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO). Uma das primeiras iniciativas já em curso destaca a compra de produtos regionais de pequenos agricultores para a elaboração de cardápios sustentáveis.

A hotelaria nacional foi representada na solenidade de lançamento da campanha da ONU, em Genebra, em janeiro passado, pelo presidente da Associação de Hotéis Roteiros de Charme, Helenio Waddington. A entidade reúne 59 hotéis e pousadas sustentáveis das cinco regiões brasileiras, em 16 estados e 51 destinos turísticos. Em entrevista Agência Brasil, Waddington ressaltou que a principal característica dos empreendimentos associados é aliar a qualidade do produto nacional à sustentabilidade. “Um sem o outro não funciona”.

Segundo Waddington, todo o processo de desenvolvimento sustentável se baseia no princípio da redução do desperdício de água, energia e alimentos. No caso do desperdício de alimentos, o processo vai desde o tratamento que é dado ao que sobra até como fazer com que sobre menos. Ele disse que, além de valorizar a separação do lixo e o tratamento orgânico das sobras, a associação pretende agora influir no processo. “É como se evita o desperdício”.

O Pnuma está elaborando um manual para implantação em nível mundial com procedimentos e técnicas para orientar as equipes de cozinha a elaborar cardápios sustentáveis. “Na parte de cozinha sustentável, você começa com o menu. Cardápio sustentável é aquele que prioriza a compra de produtos regionais. Com isso, você promove o desenvolvimento sustentável daquela região e ajuda a promover o pequeno agricultor, o pequeno criador de galinhas. É a comida ecológica”, disse Waddington.

A inclusão de produtos regionais nos cardápios dos hotéis evita perda de mercadorias transportadas, ao mesmo tempo que reduz o consumo de combustível e diminui a emissão de gás carbônico, por exemplo. A associação está empenhada agora em trabalhar para que as cozinhas dos estabelecimentos desperdicem o mínimo possível de alimentos. “Tudo que você tirar, tem que aproveitar”.

Ele acredita que dentro de 60 dias a associação receberá o manual do Pnuma, para fazer as adaptações necessárias à realidade brasileira. Segundo Waddington, a implementação do manual no Brasil “é um projeto maior” que deverá ocorrer antes do segundo semestre e contará com apoio da ONU, “inclusive para a constituição do grupo de monitores”.

Waddington pretende estabelecer também parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) para fazer o acompanhamento do processo, “que é muito caro”. A associação trabalha com equipes de biólogos e de engenheiros ambientais que visitam os hotéis associados, que se encontram, em média, localizados a mil quilômetros da sede da entidade, que é o Rio de Janeiro. As equipes fazem o levantamento do impacto ambiental e do desperdício em todos os níveis.

Waddington disse que, diferentemente do que ocorre nos países do chamado primeiro mundo, no Brasil, assim como na América do Sul, 70% do projeto de redução do desperdício de alimentos é uma questão de educação. Cerca de 86% dos hotéis filiados à associação já adotam medidas para reduzir o desperdício de alimentos, transformando as sobras das refeições em produtos renováveis. A compostagem (reciclagem do lixo orgânico para produção de adubo) é uma dessas iniciativas.

“A nossa meta para 2015 é reduzir o desperdício a 5%”, disse Waddington. A média de desperdício atual é inferior a 15%. O projeto está sendo iniciado nos nove hotéis da associação instalados no Rio de Janeiro. Em seguida, será replicado nos empreendimentos restantes. Waddington espera que a gastronomia como um todo, incluindo hotéis tradicionais, bares e restaurantes, possa aderir à campanha global da ONU e diminuir os níveis de desperdício de alimentos.

Ele destacou a necessidade de passar a imagem para o cliente de que o hotel ou restaurante está tentando evitar o desperdício, mas com o cuidado de preservar o direito do hóspede ou do cliente de ter um atendimento de qualidade. “Isso é muito importante”.

Fundada em 1992, a Associação de Hotéis Roteiros de Charme ocupa a vice-presidência da Junta Diretiva dos Membros Afiliados, fórum empresarial da Organização Mundial do Turismo (OMT), organismo de turismo da ONU sediado em Madrid.

Alana Gandra, da Agência Brasil

Além disso, verifique

Direito-Ambiental-thumb-73

INCRA deve promover o licenciamento ambiental em assentamentos de reforma agrária

“A 1ª Vara Federal de Bagé determinou que o Instituto Nacional de Colonização e Reforma ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *