sábado , 22 julho 2017
Home / Notícias / Árvores na paisagem urbana – um guia para os planejadores e autoridades

Árvores na paisagem urbana – um guia para os planejadores e autoridades

Tree and Design Action Group é um grupo que compartilha a visão coletiva de que a localização das árvores, e todos os benefícios que elas trazem, pode ser garantida para as gerações futuras se influenciarmos o planejamento, projeto, construção e gestão de nossa infraestrutura e espaços urbanos.

As árvores fazem os lugares funcionarem e parecerem melhores. Além de desempenhar um papel no microclima de nossos bairros, as árvores também podem ajudar a criar condições para o sucesso econômico. O guia Trees in the Townscape apresenta uma abordagem atual para a arborização urbana, disponibilizando às autoridades e profissionais, princípios e referências necessários para alcançar o potencial da vegetação no ambiente urbano.

Esta é uma abordagem que aceita o ritmo correspondente aos desafios de nossos tempos.Trees in the Townscape oferece um conjunto abrangente de 12 princípios orientados para a ação que podem ser adaptados aos diferentes contextos de cada cidade.

A quem o guia é destinado?

Os 12 princípios foram pensados para todos os envolvidos em tomar ou influenciar as decisões que moldam os espaços e lugares em que vivemos. Eles são particularmente relevantes para os membros locais eleitos, políticos e grupos da comunidade. O guia também é útil para profissionais que usam seus conhecimentos técnicos para melhorar o ambiente construído, como, por exemplo, arquitetos, engenheiros, paisagistas e urbanistas.

Como foram desenvolvidos os 12 princípios?

Este guia foi desenvolvido pelo Tree and Design Action Group com base em mais de 40 entrevistas e uma ampla consulta com os profissionais envolvidos na criação e manutenção do ambiente construído, incluindo arquitetos, urbanistas, engenheiros civis, seguradoras, desenvolvedores, designers, especialistas em sustentabilidade, ecologistas, acadêmicos e organizações não lucrativas especializados em engajamento comunitário e sustentabilidade.

 

4554

 

Veja, a seguir, uma breve descrição de cada um dos 12 princípios:

PLANO

1- Conheça os recursos da vegetação
Criar e manter registros de fácil uso da cobertura florestal existente, da natureza e da condição da “população” de árvores.

2- Tenha uma estratégia abrangente
Produzir, adotar e implementar uma estratégia de colaboração para a proteção, desenvolvimento e gestão da cobertura vegetal urbana que esteja em sintonia com as necessidades e aspirações locais.

3 – Incorpore a vegetação em políticas e outros planos urbanos
Adotar normas claras para a proteção, cuidados e plantio de árvores em planos locais.

PROJETO

1- Crie locais adequados para as árvores
Crie lugares onde espécies de árvores podem prosperar e oferecer sua gama completa de benefícios sem causar incômodo às pessoas.

2- Escolha as espécies certas
Selecione e use as espécies adequadas aos diferentes contextos.

3- Busque múltiplos benefícios
Aproveite toda a gama de benefícios das árvores pode gerar como parte de um sistema de infraestrutura verde local, focando nas principais aspirações locais.

PLANTIO / PROTEÇÃO

1- Adquira exemplares saudáveis
Plante árvores saudáveis e vigorosas que foram devidamente condicionadas a prosperar no ambiente em que elas serão destinadas a viver.

2- Forneça solo, ar e água despoluídos
Certifique-se de que as árvores têm acesso aos nutrientes, oxigênio e água de que necessitam para realizar o seu potencial genético de crescimento e longevidade.

3- Envolva as partes interessadas

Trabalhe com as partes interessadas – profissionais e comunitárias políticos locais – para defender o valor das árvores na paisagem urbana.

GERENCIAMENTO / MONITORAMENTO

1- Assuma uma abordagem de gerenciamento de bens
Informe todas as decisões de planejamento, gestão e investimento com detalhes sobre os custos e o valor gerado pelas árvores.

2- Tenha consciência dos riscos (em vez de ter medo deles)
Adote uma abordagem equilibrada e razoável em relação à gestão da segurança.

3- Ajuste a gestão segundo suas necessidades
Realize uma manutenção proativa e personalizada na vegetação para garantir melhores benefícios em resposta às necessidades locais.

Para acessar o guia completo, clique aqui.

Via: Paisagem, Arquitetura e Cidade e Landscape Interface Studio

Além disso, verifique

thumb-dmlu

Resíduos Sólidos – Lei 12.305/2010 – Política Nacional de Resíduos Sólidos – comentada artigo por artigo

A Advogada Telma Bartholomeu Silva acaba de lançar, pela Editora Nova Onda,  a obra “Resíduos ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *